Rocky II: A Revanche (1979)

Padrão

Rocky II - A RevancheToca a música: PAM PAM PAM PAM PAM PAM PAM PAM PAM

Entra o título: R    O    C    K    Y   II

A tela escurece um momento, o barulho da multidão é ouvido e então as luzes de um estádio em polvorosa acendem-se para nos levar de volta até o clímax de Rocky: Um Lutador. Contra todas as expectativas e probabilidades imagináveis, Rocky (Sylvester Stallone) consegue manter-se de pé no ringue após 15 rounds de uma luta espetacular contra Apollo Creed (Carl Weathers), o campeão mundial de boxe dos peso pesados e, mesmo que os juízes deem a vitória para Apollo, é o “Garanhão Italiano” quem deixa o local ovacionado pela torcida. Rocky saiu do anonimato e conquistou seu momento de glória, agora resta saber se ele tem o que é preciso para permanecer no topo.

Eu já havia planejado assistir Rocky II: A Revanche em algum momento deste ano, de forma que acabasse de uma vez por todas a minha vergonha por não ter assistido todos os filmes da série, mas eu não pretendia assisti-lo agora. Se adiantei meu plano, o “culpado” é este bebê. Sério, abram o link e assistam. Viram que menino foda? Me mandaram este vídeo esta semana e, do mesmo jeito que a cena de treinamento do Rocky empolgou o bebê (imagem quantas vezes ele assistiu isso até decorar todos os movimentos rs), também fiquei empolgado com o que vi e decidi ver o filme imediatamente. Em se tratando de poder motivacional, não me canso de ficar impressionado com o alcance e a atemporalidade da série idealizada pelo Stallone.

Terminada a luta, Rocky e Creed são encaminhados até o hospital para tratarem seus ferimentos. Assustado por quase ter perdido o cinturão para um amador, Creed diz que não haverá uma revanche, porém ele começa a mudar de ideia quando a imprensa questiona o mérito de sua vitória. Já Rocky, após ter tido o olho seriamente danificado pelos socos de Apollo, não quer mais saber de lutar: chegou a hora de ele casar-se com Adrian (Talia Shire) e ter uma vida sossegada aproveitando o dinheiro e a fama que a luta garantiram-lhe. O sucesso, no entanto, mostra-se uma experiência passageira e logo Rocky verá-se obrigado a sair do ostracismo e voltar a fazer aquilo que ele faz de melhor: contar piadas lutar boxe.

Rocky II - A Revanche - Cena 3Quando eu tiver um filho, também pretendo colocar ele para assistir A Revanche. É claro que eu ficarei extremamente orgulhoso se o moleque aprender a fazer todas aquelas estripulias (meu momento favorito é quando o menino deita no chão para fazer as flexões rs), mas o que eu quero mesmo é que a educação dele englobe o tipo de exemplo que o Stallone, que dessa vez escreveu e dirigiu o filme, mostra aqui: o verdadeiro mérito não está em vencer uma vez, mas sim em continuar encontrando forças para lutar e recomeçar quando for preciso.

Em Rocky: Um Lutador, o Rocky precisa encarar vários desafios antes de entrar no ringue para brigar pelo título. Além de enfrentar a desconfiança de seu técnico (Mickey, interpretado pelo Burgess Meredith) e o menosprezo da imprensa e do próprio Apollo, que tratam-no como uma piada, Rocky ainda tem que lidar com condições de treinamento bem inferiores a de seu adversário e com uma situação financeira precária. A vontade e o poder de superação do personagem não são suficientes para que ele vença a luta, mas mesmo assim ele sai do confronto de cabeça erguida e com a certeza de que ele deu o seu melhor. O público e os comentaristas, reconhecendo o esforço, transformam-no em um herói. Moralmente, Rocky venceu. Mas e o dia seguinte?

Rocky II - A Revanche - Cena 2Tão logo sai do hospital, o personagem é abordado por um agente que quer contratar-lhe para aparecer em uma série de comerciais. A recém adquirida popularidade do boxeador, ele diz, pode ser utilizada para fazer uma grana fácil com marketing. Rocky, porém, não quer pensar nisso por enquanto. Feliz consigo mesmo, ele só quer aproveitar o momento e fazer tudo aquilo que ele não conseguira fazer quando era pobre. Assim sendo, ele pede Adrian em casamento (em um zoológico, numa cena muito engraçada envolvendo um tigre rs), compra um carro (que ele não sabe dirigir), uma casa e um monte de bugigangas (dentre as quais destaco um casaco HIPER estiloso com um tigre bordado nas costas). É um homem simples. O tempo passa, o dinheiro da luta vai acabando, as contas continuam chegando e pronto, Rocky precisa voltar a trabalhar para sustentar a si mesmo e a esposa, que está grávida. Claro que um homem que lutou contra o campeão do mundo não terá dificuldades para conseguir um bom emprego, certo? Não é bem isso que acontece, nem na ficção, nem na vida real.

Rocky: Um Lutador falava sobre a importância de darmos o nosso melhor para superarmos os problemas que a vida coloca em nosso caminho. Rocky II: A Revanche complementa esta mensagem dizendo que não basta esforçar-se para vencer uma vez. A luta é diária. Rocky realizou um feito memorável quando enfrentou Apollo, mas ele não poderia viver o resto de seus dias sentados sobre os louros dessa “vitória”. Sem nenhum outro tipo de formação ou habilidade que não fosse a de lutar, ele vai rapidamente do céu ao inferno e precisa aceitar empregos ruins que não condizem com a posição que ele alcançou. Para piorar, ele é despedido e vê a mulher, grávida, trabalhando para sustentar a casa. É aí, no fundo do poço, que ele parece aprender que “não importa o quão forte você bate, mas sim o quanto você consegue apanhar e seguir em frente” e, com o apoio de Adrian, reencontra toda a força que ele precisava para aceitar o desafio de Apollo para uma revanche.

Rocky II - A Revanche - Cena 4Fora a recapitulação da abertura, A Revanche tem apenas uma cena de luta, que é o esperado confronto entre Rocky e Apollo que fecha o filme. É mais do que o suficiente: o drama do simpático lutador para continuar sendo alguém relevante segura muitíssimo bem a história e, no final, a gente só relaxa e vê o cara treinando e trocando uns sopapos com o Apollo em cenas divertidíssimas e muito bem coreografadas. A cena do treinamento, aliás, é o tipo de coisa que me deixa verdadeiramente emocionado: como gosto de correr, fiquei empolgadíssimo vendo o Stallone subindo as escadas do Museu de Arte da Filadélfia acompanhado por aquela multidão de crianças. Resultado: coloquei Gonna Fly Now na playlist, saí para correr e consegui percorrer 15kms rs

Filmes como A Revanche, que contam histórias de esforço e superação, sempre terão um espaço no meu coração e neste blog. Espero, um dia, poder usá-lo para mostrar para alguém que vale a pena sair correndo por aí, dia após dia, enfrentando tudo e todos.

Rocky II - A Revanche - Cena

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s