Operação Invasão 2 (2014)

Padrão

Operação Invasão 2Conforme prometido, aqui está a resenha da continuação do bacanudo Operação Invasão. Antes das minhas impressões, porém, vale citar uma curiosidade sobre o filme: Operação Invasão 2, na verdade, deveria ter saído antes de seu antecessor. Acontece que o diretor Gareth Evans, sem dinheiro suficiente para financiá-lo, decidiu escrever uma espécie de prequência que pudesse ser rodada com um baixo orçamento de modo que os lucros da produção fossem posteriormente aplicados em seu projeto principal. A aposta corajosa do diretor deu certo e o sucesso de crítica e público do primeiro filme garantiu a grana necessária para a produção da sequência. Fiquei com a sensação, no entanto, de que o diretor alcançou um resultado melhor quando trabalhou com um orçamento mais apertado.

Rama (Iko Uwais) conseguiu vencer o Cachorro Louco e o criminoso que ele protegia. Missão cumprida? Claro que não. Apenas 2 horas depois dos eventos mostrados em Operação Invasão, Rama é persuadido por um chefe da polícia a esgueirar-se novamente através do mundo do crime para desmantelar outro esquema de corrupção. Para tanto, o personagem deverá encontrar um jeito de ser enviado para a prisão, infiltrar-se em uma gangue e ganhar a confiança de seus líderes de modo que ele possa destruí-la de dentro para fora. Como motivação, Rama leva o desejo pessoal de vingança já que, entre os bandidos, encontra-se o responsável pela morte de seu irmão.

Operação Invasão 2 - Cena 3Em seu primeiro trabalho, Gareth Evans valeu-se de um roteiro simples e eficaz para mostrar cenas de pancadarias milimetricamente coreografadas e tiroteios brutais. O resultado foi um filme rápido que agrada justamente por ir direto ao ponto e nos ofertar em abundância tudo aquilo que procuramos em um longa de ação. Operação Invasão 2 passa longe, muito longe mesmo, de poder ser comparado a um drama, mas é notável que, ao optar por desenvolver alguns personagens, o diretor tornou o filme lento em algumas passagens e perdeu aquele senso de selvageria desenfreada que ele mesmo havia criado anteriormente. Essa constatação, obviamente, não torna essa sequência ruim ou chata, mas a crítica é válida porque essas “explorações motivacionais” deixaram o filme com incríveis 2h30min (um dos maiores – e melhores – dramas de todos os tempos, Um Sonho de Liberdade, tem 2h20min) dos quais boa parte são dedicados a construção do vilão. E não, não trata-se de um cara tão legal quanto o Cachorro Louco, mas sim de um pirralho mimado e impulsivo.

Operação Invasão 2 - Cena 4Mesmo tendo pecado um pouco no roteiro e na edição, é inegável que Evans não perdeu a mão quando o assunto é violência e pancadaria. Operação Invasão 2 jorra sangue pela tela em pelo menos 5 grandes cenas de ação que exploram o que há de melhor no gênero, com brigas na lama, perseguições de carro (talvez a grande novidade, por assim dizer, desse longa em relação ao outro) e confrontos épicos entre Rama e seus inimigos. Os vilões, aliás, continuam tão insanos e divertidos como no filme anterior. O ator Yayan Ruhian, antigo Cachorro Louco, agora é Prakoso, uma espécie de mendigo lutador. Disputando a cabeça de Rama, também estão o Homem do Taco de Baseball e Alicia, a Garota Martelo, que é uma mulher muda E caolha. Palmas para a criatividade do diretor rs

Critiquei a edição, que deixou o filme mais longo do que o necessário, mas não posso deixar de elogiar o mesmo quesito no que refere-se a montagem das cenas de ação. Evans, felizmente, vai na contramão do cinema hollywoodiano e mostra suas sequências de luta da forma mais crua possível, evitando cortes de cena e abusando de closes que mostram com riqueza de detalhes todos os ferimentos que os personagens vão adquirindo enquanto brigam. No confronto entre Rama e o Homem do Taco de Baseball, por exemplo, o diretor não nos priva da imagem gore do vilão tendo sua própria arma enterrada em seu rosto no término do combate, momento que me lembrou muito a apavorante cena de abertura do polêmico Irreversível.

Operação Invasão 2 - Cena 2Operação Invasão 2 é longo, mas vale a pena encarar as choradeiras do vilão e a trama pouco envolvente só para ver a luta final entre Rama e o personagem chamado simplesmente de Assassino. Naquela que talvez seja a melhor sequência de luta dos dois filmes, os brucutus destroem-se mutuamente dentro de uma cozinha industrial enquanto a câmera do diretor gira freneticamente ao redor deles. Segundo o IMDB, Evans gastou 6 semanas para coreografar a cena e o resultado não poderia ter ficado melhor: após um cumprimento teatral, os personagens destroem o lugar inteiro enquanto tentam dar cabo da vida um do outro. Acreditem: ainda que o filme fosse todo ruim (o que ele definitivamente não é), valeria a pena assisti-lo só para ver esse arranca rabo épico entre Rama e o Assassino.

O final sugere que um terceiro Operação Invasão está a caminho, informação que a página no Gareth Evans no IMDB confirma. Considerando que o primeiro filme já pode ser considerado um clássico do gênero e que sua continuação só peca na duração, só me resta aguardar ansioso pelo novo trabalho do diretor.

Operação Invasão 2 - Cena

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s