Operação Invasão (2011)

Padrão

Operação InvasãoQuando a realidade nos nega a oportunidade de entrarmos em contato com o espírito medieval da brutalidade desenfreada, resta-nos recorrer a ficção para saciarmos nossa necessidade de adrenalina associada a violência. Semana passada, fui com a minha digníssima conferir a edição do UFC realizada em solo uberlandense e fiquei um tanto quanto decepcionado. No principal evento da noite, o ex-campeão dos meio-médios Maurício Shogun foi nocauteado pelo americano St. Preux em apenas 34seg. Após receber um chute logo no início da luta, o brazuca recuperou-se e tentou revidar com um soco extremamente desajeitado. St. Preux desviou, viu seu adversário cair no chão do octógono e aproveitou o vacilo para esmurrar-lhe o rosto até o juiz decretar o fim do combate por nocaute técnico. Ruim para o Shogun, cuja carreira está claramente em declínio, pior para o público, que saiu do estádio as 4 da manhã cansado e frustrado por ver uma luta tão aquém daquilo que o lutador demonstrara anteriormente ser capaz.

Como os brutamontes da vida real falharam em me proporcionar um bocado de diversão do tipo pão e circo, decidi então assistir um filme que um amigo havia me indicado já há algum tempo. Ele, que coincidentemente trabalha como cameraman nos eventos do UFC, descreveu esse Operação Invasão como um dos melhores filmes de ação que ele já assistiu. Oras, um sujeito que labuta filmando pancadaria definitivamente merece um voto de confiança quando indica uma produção do gênero, portanto levei a sério o que ele disse e fui ver o filme com as melhores expectativas possíveis. Adivinhem só?!?! O cara não poderia estar MAIS certo: produzido em solo indonésio (!!!), Operação Invasão é o filme de ação contemporâneo que tu, fã de violência cinematográfica, obrigatoriamente precisa assistir.

Operação Invasão - CenaResumidamente, o que o diretor e roteirista Gareth Evans fez foi reciclar um roteiro clássico do cinema pancadaria e recheá-lo com lutas insanas. No meio de um bairro infernal existe um prédio. No último andar desse prédio existe um homem mal, muito mal, que comanda uma organização criminosa intocável. Eis que um grupo de policiais de elite é convocado para acabar com a festa da bandidagem e, para tanto, eles terão que abrir caminho à força através dos 30 andares do lugar. Pronto, é isso, simples assim, divertido assim.

Para começo de conversa, assistir um filme com essa proposta (invasão de um prédio) significa, quase que necessariamente, reviver aqueles dias da nossa adolescência quando o John “Agora eu tenho uma metralhadora HO HO HO” McClane arrebentava tudo no icônico Duro de Matar. Ainda que o forte da produção sejam as lutas corpo a corpo, as cenas que envolvem tiroteios e “táticas policias” também são muito legais e variadas: Evans tanto nos permite viver aqueles momentos de tensão quando descobre-se que há snipers escondidos atirando no grupo de policiais quanto entrega cenas violentíssimas e extremamente gráficas de tiroteios frontais entre mocinhos e bandidos.

Operação Invasão - Cena 2Operação Invasão, portanto, tem aquela pegada bacana de filmes de ação americanos da década de 80 onde um homem e sua arma conseguiam salvar o mundo mas, se formos compará-lo a alguma produção, é mais justo e elucidativo associá-lo ao Ong-Bak. Quando as balas acabam ou quando o espaço é insuficiente para sacar uma arma, Rama (Iko Uwais), o protagonista, parte pra cima dos inimigos com tudo aquilo que o seu corpo é capaz de oferecer. É chute daqui, murro acolá e cabeçada na fuça, tudo feito em uma velocidade impressionante e com uma quantidade mínima de cortes, tal qual no clássico tailandês (!!!) citado. Por mais árduo que seja convencer alguém de que é “bonito” ver um personagem esmurrar o outro até o sangue jorrar, devo fazê-lo argumentando que as sequências de luta comandadas pelo diretor são inventivas e empolgantes. Conforme dito, nota-se o talento de todos os envolvidos nas coreografias milimetricamente executadas que, além de não apoiarem-se na tradicional edição relâmpago hollywoodiana para dar aquela idéia falsa de velocidade, ainda destacam-se pela interação constante com objetos do cenário. Rama é um lutador talentosíssimo, mas quando a situação aperta ele não pensa duas vezes antes de começar a arremessar qualquer item que estiver ao alcance de suas mãos nos adversários no melhor estilo “pegou pedra, apelou”. Rama apelão!

Operação Invasão - Cena 4Rolam imprevistos, personagens morrem, uma reviravolta sem importância no roteiro acontece e finalmente chega o momento que todos estavam esperando: a luta final, aquele embate mágico em que o bem confrontará o mal para decidir o destino da humanidade. Ponto fraco da maioria dos filmes de super heróis da Marvel (certamente um estigma da franquia do Homem de Ferro), esse clímax tanto não decepciona como acaba transformando-se na cena mais legal do longa. Esqueçam o homem mal, muito mal que comanda o crime: apesar de atirar contra a cabeça de uns sujeitos indefesos e proferir algumas frases de efeito, no final das contas, ele é apenas quem dá as ordens. O brutamontes sem noção da vez, o cara que compra e não paga, o sujeito mais ruim do que cerveja quente atende pelo nome de Cachorro Louco (Yayan Ruhian) e é com ele que o protagonista, auxiliado por outro lutador, travará a luta decisiva. Trancados em uma sala pequena, os três personagens esmurram-se freneticamente durante pelo menos uns 5 minutos, ou seja, eles são pelo menos 10 vezes mais resistentes do que o nosso querido Shogun. A cena, absurda em todos os sentidos (velocidade dos golpes, estilo, capacidade de suportar danos), é desde já uma das melhores sequências de pancadaria que eu já assisti em um filme e fecha muitíssimo bem tudo aquilo que o longa propôs-se a apresentar: violência em forma de arte.

Operação Invasão - Cena 5Diante do exposto, recomendo-lhes Operação Invasão com a mesma empolgação que ele me foi indicado: de fato, ele é um clássico imediato do gênero, se não o melhor (como o poster anuncia), seguramente um dos melhores filmes de ação feito em décadas, ainda mais se considerarmos o orçamento modesto com que ele foi rodado (cerca de 1 milhão) e o país sem tradição no cinema de onde ele veio. A sequência, Operação Invasão 2, ao que tudo indica (nota no IMDB e comentários do mesmo amigo), é melhor ainda, então esperem vê-la por aqui tão rápido quanto um nocaute do St. Preux.

Operação Invasão - Cena 3

Anúncios

Uma resposta »

  1. Pingback: Operação Invasão 2 (2014) | Já viu esse?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s