Se Beber, Não Case! Parte II (2011)

Padrão

Se Beber, Não Case - Parte IIAssisti Se Beber, Não Case!, o primeiro, bem depois de todo mundo. Não tenho o hábito de ver comédias no cinema e, na época, eu estava com vários filmes acumulados para assistir, de modo que fui deixando-o de lado até que um amigo com quem eu costumava conversar sobre cinema praticamente me obrigou a assistí-lo. “Vê, é SUPER engraçado, estão falando que é uma das melhores comédias dos últimos anos”. O tal amigo era dono de gostos no mínimo suspeitos (um dos filmes favoritos dele é o Tróia com o Brad Pitt e ele não gosta de Pulp Fiction), mas a curiosidade acabou me vencendo e eu dei uma chance para a tal melhor comédia dos últimos anos. Ri pouco. O filme, que era assinado pelo diretor Todd Phillips, até trazia algumas inovações na narrativa, uma ou outra piada bacana e ainda teve o mérito de apresentar o ótimo Zach Galifianakis para o público, mas acredito que o sucesso que ele experimentou nas bilheterias deve-se principalmente a estagnação do gênero que ele representa, o qual nos últimos anos tem sofrido com piadas escatológicas e de cunho sexual extremamente batidas. Tendo isso em vista, ignorei as filas enormes que formaram-se no cinema local de pessoas ansiosas para verem a continuação com a certeza de que eu não estaria perdendo muita coisa.

Quase 2 anos depois, o Carlos, que é um leitor que acompanha esse blog desde o início e cuja opinião eu respeito muito, me pediu para assistir a continuação. “Cara, muito bom, apesar de alguns exageros aqui e ali, o filme tem um humor muito bom, que vale a pena. To ansioso pra ver sua opinião.” Pois bem, Carlos, eu vi o filme e … (PAUSA) Primeiro, a sinopse! rs

Se Beber Não Case - Parte II - Cena 2

Stu (Ed Helms) está noivo novamente e, meio que a contragosto, convida os amigos Phil (Bradley Cooper), Doug (Justin Bartha) e Alan (Galifianakis) para o casamento que será realizado na Tailândia. Nada de despedida de solteiro dessa vez, diz ele lembrando-se da noite insana que viveu ao lado dos amigos em Las Vegas. O grupo então viaja para o sudeste asiático e, após algumas poucas cervejas na noite que antecederia o casamento, envolve-se misteriosamente em outra noite épica de loucuras que os leva até a cidade de Bangkok. Além de encontrar o cunhado de Stu, que perdeu-se no meio da confusão, eles precisam conseguir retornar a tempo para o casamento.

… (CONTINUANDO), novamente, não vi nada demais. Infelizmente, Se Beber, Não Case! Parte II é a típica continuação que aposta todas as fichas nos elementos que deram certo no original sem preocupar-se minimamente em oferecer algo novo para o público. Por mais que o roteiro do primeiro filme não merecesse nem um prêmio de originalidade, a idéia de um grupo de amigos quebrando tudo em Las Vegas na despedida de solteiro de um deles é um ponto de partida interessante para uma comédia. A forma como a história foi contada, acredito, foi um dos grandes trunfos do longa, onde os detalhes da farra iam sendo revelados aos poucos para, no final, garantirem boas risadas nos créditos com as fotos dos momentos que geraram todos os embaraços vistos durante o filme. Essa continuação simplesmente repete tudo isso com pequenas alterações: Las Vegas da lugar a Bangkok, os personagens que funcionaram no debut (o japonês louco e Alan) ganham mais espaço, os chatos são jogados para escanteio (Doug) e o Mike Tyson, presença ilustre e bizarra que marcou o primeiro longa, volta a dar as caras. Até o macaco, que garante algumas das melhores piadas, é uma reedição do bebê carregado anteriormente pelo personagem do Galifianakis.

Oi, aconteceu denovo! É, EXATAMENTE do mesmo jeito.

Oi, aconteceu denovo! É, EXATAMENTE do mesmo jeito.

Tudo isso, é claro, poderia ser deixado de lado se as piadas fossem boas. Ri poucas vezes enquanto assistia o filme. Reconheço, não é lá o meu tipo de humor favorito, mas já vi uma quantidade considerável de filmes que apoiam-se em piadas sexuais (e gostei deles) e acho que a série Se Beber, Não Case!, até agora, está, no máximo, no mesmo nível deles. “Uma das melhores comédias dos últimos anos”? Os fãs (Carlos =/) que me desculpem, mas a minha resposta é não, mesmo considerando toda a subjetividade que envolve o humor. Ah, antes que eu me esqueça, aquele Stu é INSUPORTÁVEL.

Só para ficar claro: INSUPORTÁVEL

Só para ficar claro: INSUPORTÁVEL

Anúncios

»

  1. Poxa. pensei que fosse gostar. eheheheh
    Eu sou muito fã de comedia. Não curto tipo de comedias que abusam da sexualidade como American Pie, e tantos outros neste nivel…o legal de Se beber não case, são as situações constrangedoras que os personagens se submetem e de tentarmos adivinhar o que houve com eles e como sairão dela. Mas legal em ler seu post. E como voce mesmo diz, voce não curte muito comedia.

      • Lucian e Carlos, só vi o primeiro filme, e realmente não achei nada demais. Mas vendo que pelo menos um de vocês é muito fã de comédia e o outro tem um blog onde entro quase todos os dias pra ler suas opiniões, deixo apenas minha dica sobre um filme desse tipo, que fui assistir sem esperar muita coisa e tem uma história batida sim, mas me deixou vidrado com a quantidade de absurdos que acontecem e que, sinceramente, poderiam ser bem reais: PROJETO X, que é produzido pelo tal Todd Phillips também.

        É definitivamente a maior festa de todos os tempos, onde até eu que sou muito caseiro, gostaria de estar. Mesmo que eu fosse pra cadeia no final.

        Se não assistiram ainda, por favor assistam e me falem o que acharam.

        Um abraço de um fã desse site.

  2. Decepcionante, os dois. O humor é subjetivo mesmo. No meu caso não acho engraçado ser rangado por um travesti. Pior que o 3 vem aí. A Ressaca sim é uma ótima comédia.

  3. estou de acordo com voce, ô comédia fraquinha essa. Todo mundo que conheço “MEU DEUS É MUITO ENGRAÇADO NOSSA VO MORRER DE RIR” e eu concordando pra nao ficar chato.

  4. Bem, articularmente, achei uma ótima série e totalmente inovadora na forma, como vc bem falou, da farra se revelar entre outros fatores. Hoje, a comédia é um gênero que se encontra em baixa com poucos destaques que surpreendam de fato o público. Gostei muito dos dois filmes, mais ainda do primeiro apesar de ter a estrutura básica totalmente igual ao outro com relação a ter um animal envolvido que eles sequestram( o primeiro um tigre e o segundo o macaco), a questão do flash final lembrando de tudo a partir de uma palavra. No entanto, achei algo novo e que é digno de todo o seu merecimento.

  5. eo dou muitas risadas com estes filmes!! Embora tenho que concordar com seu ponto de vista, eu ja tinha percebido isso, mas mesmo sem originalidade acho muito engraçado!! E olha que não gosto de comédias de cunho sexual.

  6. Em relação à crítica destte filme fico com o que foi dito pelo Sylvester Stalone: “Ninguém gosta dos meus filmes, exceto o público.”. Quem sabe uma comédia Ucraniana filmada em preto em branco agrade o ilustre crítico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s