Hellraiser 9 – Revelações (2011)

Padrão

Hellraiser IX - RevelaçõesPronto, terminei de assistir a série Hellraiser. Antes de falar o óbvio sobre essa nona sequência, busquei pelo título do filme no buscador do blog e reli todos os meus textos para resgatar minhas impressões sobre essa que é uma das mais longínquas e conhecidas cine-séries do gênero terror. Resumidamente, gostei dos três primeiros filmes, odiei o quarto, recuperei minhas esperanças no quinto, desprezei completamente o sexto e o sétimo e, apesar de algumas poucas qualidades, não curti (Y) o oitavo. Colocando de outra forma, e quando conversa-se com os fãs dos Cenobitas é essa a idéia que se tem, a série deveria ter parado no terceiro filme. Diante de todo o impacto visual e do terror provocado pelos primeiros longas dos personagens criados pelo Clive Bake, as sequências não são apenas filmes medíocres, eles constituem verdadeiras ofensas contra a inteligência de quem compreendeu o potencial da idéia que perdeu-se após o Hellraiser 3 – Inferno na Terra.

Revelações, filme feito as pressas pela Dimension Films após a empresa perceber que estava prestes a perder os direitos da franquia, é (espero) o fundo do poço de todo esse descaso direcionado a série. Rodado com um orçamento ridículo ($350.000) e concluído em apenas 3 semanas de gravações, o roteiro conta a história de dois jovens norte-americanos que decidem cruzar a fronteira dos EUA com o México para beber e transar. Isso é compreensível. Abordados por um homem misterioso que lhes apresenta a Configuração dos Lamentos, os jovens envocam Pinhead (Stephan Smith Collins) e, depois disso, desaparecem. Única prova do acontecimento, uma gravação feita pela câmera de um dos adolescentes assombra as famílias das vítimas e impede que eles consigam seguir em frente. É então que a irmã de um dos garotos assiste o vídeo, acha o cubo maldido e, de forma completamente inesperada, encontra o próprio irmão que fora dado como morto. A qualidade do que vem em seguida não é compreensível.

Stephan Smith Collins, o novo (e PÉSSIMO) Pinhead

Stephan Smith Collins, o novo (e PÉSSIMO) Pinhead

Não que, após tantas decepções, eu esperasse a reinvenção da roda ou o resgate do potencial que os personagens já provaram ter. Sinceramente, eu não esperava NADA. A questão aqui é que mesmo a total indiferença, um dos piores sentimentos que tu pode sentir relacionado a uma obra de arte, não impede que a gente sinta-se entediado, enraivecido até, com o amadorismo alcançado pelo trabalho do diretor Víctor García. Trabalhando com um roteiro feito diretamente para a série, diferentemente do que havia sido feito nos últimos filmes, onde roteiros eram adaptados para incluirem os cenobitas e sua mitologia, García dirige aquele que talvez seja um dos piores elencos já reúnido para um filme. Os diálogos, as reações de medo e supresa dos personagens e a interação entre eles… nada faz sentido, nada é natural. Uma das poucas exceções, uma menininha-gostosinha-loirinha que envolve-se em uma cena de incesto levezinha, levezinha, acaba representando outra decepção por, contrariando todas as tradições possíveis e imagináveis dos filmes de terror, guardar as glândulas mamárias dentro do sutiã. Isso não se faz. Após pouquíssimas e bobas aparições dos cenobitas, Revelações faz uma revelação (duh!) e termina mais repentinamente do que essa música do Napalm Death. Vale ainda citar o fato vergonhoso de Doug Bradley, o ator que viveu o Pinhead nos outros 8 filmes, não ter aceitado o salário extremamente baixo que lhe ofereceram e, por isso, ter sido substituído pelo zé-niguém da foto a cima. Sim, eu mesmo já havia reclamado que o Sr. Bradley já estava velho demais para o papel, mas o cara aí simplesmente não funcionou enquanto chefe dos Cenobitas.

Quando comecei a escrever sobre a série, eu comentei sobre o medo que eu tinha de assistir o primeiro Hellraiser durante a noite. Talvez seja demais, já com 27 anos na conta, querer sentir esse mesmo medo vendo um filme. Talvez seja inocência minha acreditar que um dia esses personagens, beneficidados pela atual onda de remakes, reencontrem o público do cinema comercial em uma produção repleta de sangue, ganchos, violência e provocações morais dignas dos três primeiros filmes. Talvez, se o Clive Baker reassumisse o processo, a qualidade voltasse. Talvez seja melhor, para o bem da série, que ela acabe de uma vez por todas. Talvez, talvez, talvez… O que percebe-se, após assistir todos os filmes, é que aquilo que o Stephen King um dia chamou de “o futuro do terror” transformou-se em uma franquia medíocre cujos melhores momentos paressem ter ficado em um passado distante. Lamentação pela Configuração dos Lamentos, pelos Cenobitas e por tudo aquilo que, mesmo com todos os maus tratos, eles representam dentro do gênero.

Dica nº1 - Essa cena é uma cópia barata do primeiro filme. Dica nº 2: há uma mulher nessa foto

Dica nº1 – Essa cena é uma copiada do primeiro filme. Dica nº 2: há uma mulher nessa foto

Anúncios

»

  1. pra mim só existem 4 filmes .. da serie …. o primeiro logico um clássico .. o 2° ,3° e o 5° acho que são as mesmas opiniões de quase todos os fás da serie

  2. olha eu discordo, eu gostei sim do 4º filme, mas no aspecto geral a franquia hellraiser é bem fraca, a estória é extremamente chata e confusa e em pouquissimos momentos a pessoa fica realmente atenta ao que acontece, no mais são muitas inconsistências no enredo e enrolações que só tornam a série mais chata. a partir do 5º filme a série ganhou um enredo melhor embora tenha pecado ainda no enredo fraco e na mesma estória confusa de sempre. num balanço geral de quem curte filmes de terror, a série hellraiser como um conjunto fica apenas na média, sem muito o que acrescentar.

  3. Para mim o filme foi bom ate 5° o 4° gostei pois conta a historia como foi criada a Configuração da lamentação , eo 1 2 3 foram Filosofia pura para mim a quelas frases de Pinhed nossa da ate arrepio , mais para falar a verdade logo quando soube que ia ter o 9 Revelações achei que ia ser muito bom , o bom hellraiser iria voltar com tudo mais me decepcionei muito primeiro com o Pinhed esse cara nada a ver, e depois eles da Dimension Films acha que agente e o que retardados fez um da queles caras que tava viajando se vestir como o tio frank e colocar velas ao redor igual a ele HAHAHA ate o cabelo o penteado indentico igual zinho nada ver mim decepciono muito para me a unica pessoal nesse filme que fez o papel certo foi o Mendigo ou que entrega a BOX Configuração da lamentação , foi o único que gostei essa e minha opinião

  4. hj assisti o ultimo “filme”, achei uma bosta! Geralmente tenho receio de adsistir essa série (1 ao 3), pq até hj tenho medo, mas fiquei curioso então resolvi despediçar (sei lá…uma hora?) do meu domingo!
    Sobre o “filme”, achei uma comédia muito ruim. Porém adorei a sua observação sobre a cena igual ao primeiro filme, mais especificamente sobre a “mulher” na cena! (ri sangue)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s