Sombras da Noite (2012)

Padrão

Atualizando o blog depois de …. 18 dias! Putz! Olhando no começo disso aqui, eu cheguei a fazer 2 postagens no mesmo dia, o fato é que eu nunca imaginei que fosse conseguir ficar tanto tempo sem escrever e muito menos sem assistir filmes. Minha vida mudou radicalmente nos últimos 3 meses e confesso que cheguei a pensar em abandonar esse projeto, mas comentários como esse do leitor Michael Diego me dão forças e ânimo para continuar. Obrigado 🙂

Quem não tem mudado muito nos últimos anos é o Tim Burton. Depois do excelente Peixe Grande, o diretor iniciou uma sequência de trabalhos pouco criativos estrelados pelo Johnny Depp pautados por releituras de clássicos do cinema e da literatura. Eu até gosto do humor ácido que ele usou na releitura do A Fantástica Fábrica de Chocolates, mas não guardo nenhuma lembrança do A Noiva Cadáver, dormi durante as cantorias do Sweeney Todd e fiquei MUITO decepcionado com a “mastigada” que ele deu em todas as sutilezas do Alice no País das Maravilhas para vendê-lo ao público sedento por histórias contadas em 3D. Em todos esses filmes, tu encontra o belo trabalho de fotografia, cenografia, figurino e maquiagem que fizeram o nome do diretor em trabalhos como Os Fantasmas se Divertem, Edward Mãos de Tesoura e no Marte Ataca!, o problema é que as histórias e os diálogos (pontos fortes do Peixe Grande e do Ed Wood,por exemplo) têm adquirido um insatisfatório papel secundário perante ao espetáculo visual. Sombras da Noite não é o filme que muda isso.

Baseado em uma série de televisão que ficou no ar de 1966 até 1971, o filme conta a trágica história da família Collins. Imigrantes da Inglaterra, os Collins chegam nos EUA do século XVIII e iniciam um bem sucedido negócio de pescaria. Alguns anos depois, a família domina a próspera cidade de Collinsport e atrai a inveja de muitos, dentre eles a da jovem Angelique Bouchard (Eva Green). Empregada na mansão dos Collins, Angelique nutre uma paixão não correspondida por Barnabas Collins (Johnny Depp), único filho e herdeiro de toda fortuna da família. Com o coração partido, Angelique recorre a magia negra para assassinar os pais de Barnabas e transformá-lo em vampiro. Condenado a viver para sempre e testemunhar a morte de todos aqueles que ama, Barnabas ainda vê os cidadões de Collinsport voltarem-se contra ele e acaba acorrentado e enterrado para ser esquecido dentro de um caixão na floresta. Os anos passam, Angelique utiliza suas bruxarias para tomar o império dos Collins e vê a família definhar. Elizabeth Collins (Michelle Pfeiffer), Roger Collins (Jonny Lee Miller), David Collins (Gulliver McGrath) e Carolyn Stoddard (Chloe Grace Moretz), os descendentes, vivem agora em uma mansão suja e decadente vendendo o almoço para comprar a janta, realidade que está prestes a mudar graças a uma escavação nas florestas que irá despertar alguém que esperou mais de 200 anos por sua vingança.

Quando o filme começou, com aquela bela imagem de um navio ancorado em um porto escuro encoberto por uma névoa densa, eu pensei “UAU, isso é Tim Burton!”. Quando o Johnny Depp apareceu na tela, eu pensei “UAU, isso é Tim Burton!”. A história segue e cenários com temática gótica servem de palco para personagens excêntricos que procuram seu lugar no mundo. Adinhem o que eu pensei? Não que eu tenha cansado dos trabalhos do diretor ou esteja criticando a identidade visual de sua obra, mas Sombras da Noite é um “lugar-comum” pouco inspirado dentro daquilo que podemos esperar dele. Transitando entre o terror e a comédia, o diretor mistura cenas de assassinatos e suicídios com passagens nonsense e extravagantes como a aparição do rockeiro Alice Cooper. Não dá medo e, sinceramente, não é engraçado.

Sem diálogos interessantes e perdido dentro dessa mistura de gêneros, resta ao espectador observar a bela performance da Eva Green. Com caras, bocas, vozes e um demoníaco e decotado vestido vermelho, a atriz deixa o Johnny Depp e sua maquiagem carregada no chinelo e garante os melhores momentos da trama, dentre eles uma bem humorada (raridade no conjunto) cena de sexo capaz de movimentar qualquer Calvin Klein.

Ciente do potencial do diretor, espero que seu próximo trabalho, a animação Frankenweenie, coloque um fim nesse hiato criativo que o separa de seus melhores momentos. Sombras da Noite é um filme mediano que passa a ser ruim quando colocado ao lado dos outros grandes trabalhos de seu criador. E não, não dá para esperar pouco do diretor de Ed Wood e Peixe Grande, problema dele se nós sabemos que ele pode mais.

Os Collins

Anúncios

»

  1. Não esperava muito do filme, e a sua resenha não me surpreendeu. Fiquei surpreso apenas por saber que você cogitou abandonar esse site! Cara, você virou uma referência para mim, sempre venho aqui para saber a sua opinião e acabar não perdendo tempo assistindo a algo ruim. Não abandona o barco, Lucian, seu blog é ótimo e sempre me rende boas consultas. Agradeço pelo trabalho feito com carinho para todos nós. Valeu ;]

  2. Fico feliz em ler um novo texto. Você não pode abandonar o blog assim, pois seus textos são uma inspiração e um incentivo que me instiga a assistir os filmes. Parabéns por conseguir em palavras dividir um pouco a sua paixão por filmes, e através delas me mostrar como abrir todos os meus sentidos quando vou ver algum filme.

  3. Eu gostei do filme é achei nao explendido mais legal de se ver….nao ficou muito atras de edward..ou os fantasmas se divertem nao
    pois aqueles tambem foram de tamanha monotolidade

  4. Pingback: Abraham Lincoln – Caçador de Vampiros (2012) « Já viu esse?

  5. Pingback: Frankenweenie (2012) « Já viu esse?

  6. Filme com fotografia perfeita e boas atuação (destaque a Eva Green), porem, realmente deixa a desejar no roteiro. Tim Burton é um dos meus diretores contemporâneos favoritos, mas devo admitir que ultimamente anda errando muito. Mas tenho que discordar de Sweeney Todd, é uma otima adaptação, merece um reconhecimento, ao menos na minha opinião. (:

  7. Cara, esse filme É UM SACO!!! Depois de uns 30 minutos, já estava torcendo pra acabar logo. Os diálogos são fraquíssimos de tão pobres e rasos que são. Sombras da Noite possui um problema muito sério de ritmo e de personagens mal aproveitados. Fiquei esperando uma atuação de destaque da Chlöe Grace Moretz e o que vi me decepcionou bastante (E que porra foi aquela dela ter virado uma loba no final???).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s