Prometheus (2012)

Padrão

AVISO: Gostei muito de Prometheus e o considero, ao lado do Os Vingadores, como o melhor filme do ano. Se ainda estiver em cartaz em sua cidade, vá assistí-lo no cinema, vale muito a pena. Caso você ainda não tenha assistido e não goste de SPOILERS, não recomendo a leitura do texto: há certas coisas na história sobre as quais eu simplesmente PRECISO comentar e isso pode estragar algumas surpresas. Aviso dado, vamos então ao roteiro do tão comentado retorno do diretor Ridley Scott ao universo da ficção científica.

Quem assistiu o trailer do longa certamente deve lembrar-se que anunciavam-no como “Do diretor de Gladiador e Blade Runner“, anúncio esse que visa dois públicos distintos: o espectador de final de semana lembrará-se das lutas do General Maximus e os mais dedicados, além de saberem que a carreira do Harrison Ford não foi feita só de Star Wars e Indiana Jones, notarão que a jóia da coroa da filmografia do Ridley Scott foi deixada de lado. Assim como não tenho a menor dúvida de que série Alien é mais conhecida do que o Blade Runner, também não tenho dúvida de que deixaram o nome dos alienígenas de lado no trailer em uma tentativa de não entregar parte das muitas surpresas do filme. É claro que, em tempos de internet, um “segredo” desses não passaria despercebido e, muito tempo antes da estréia, qualquer pessoa que acessa sites sobre cinema já sabia que Prometheus  funcionaria como um prelúdio para o Alien – O Oitavo Passageiro, primeiro filme da série e o único até o momento dirigido pelo Ridley Scott.

O trailer, aliás, também não era sincero em outro aspecto: no gênero. Ao contrário do que tentaram vender, Prometheus não é um filme de terror, pelo menos não mais do que o era o primeiro Alien. O foco aqui não é o “monstro” em si ou o estrago que ele possa causar, mas sim o mistério que o cerca e todas as possibilidades que o fato de estar em um mundo completamente diferente trazem. O tal “mistério”, aliás, começa logo na primeira cena, momento onde o branquelão acima contempla o infinito do alto de uma cachoeira e, após consumir uma matéria negra, morre e cai na água. O DNA do sujeito começa a sofrer mutações, desenvolver-se para estruturas cada vez mais complexa e… temos aí o início da vida, esse sujeito é o nosso Deus!

Durante a sessão, eu ouvi uma menina que estava sentada na fileira de trás dizer “que filme difícil de entender!” e, no final, uma outra declarou “os efeitos especiais são bons, mas eu não entendi nada”. Prometheus, enquanto história tradicional com começo, meio e fim é um filme atrativo, os efeitos especiais realmente são muito bons (eu adorei aqueles trecos que emitem luzes vermelhas para mapear a caverna) e o elenco que contém nomes como Charlize Theron, Noomi Rapace, Michael Fassbender e Guy Pearce não poderia ser melhor. Não trata-se, no entanto, de cinema entretenimento, daquele tipo de filme para tu assistir, sair da sala de cinema e esquecer. Ridley Scott debruçou-se sobre algumas questões existencialistas que não são do interesse de todos e, por isso mesmo, não serão compreendidas por todo mundo, mas realmente vale a pena perguntar-se o que aqueles personagens e situações representam dentro da trama. Eis o que, na minha humilde opinião, é dito em Prometheus.

Nós não somos frutos do criacionismo muito menos de um lento processo de evolução iniciado pelo Big Bang. A vida na Terra começou quando o braquelão morreu e teve seu DNA misturado com a água e outros elementos de nosso planeta. A substância negra que o mata, aparentemente, seria o mal em essência, mal esse que é misturado ao conteúdo genético do alien e que iria ser parte da constituição da vida na Terra, ou seja, houve uma falha, um erro no momento da criação que é a responsável direta por toda a maldade existente no mundo. Várias civilizações, de uma forma ou de outra, identificaram os aliens como sendo nossos criadores e registram isso através de desenhos e pinturas que, milhares de anos depois, foram descobertos pela tripulação da nave Prometheus. Identificadas como um mapa estelar, as estrelas desenhadas pelos seres primitivos de nosso planeta são utilizadas para justificar uma viagem para outro planeta em busca de nossos criadores. O problema é que nossos criadores não ficaram satisfeitos com o trabalho que eles fizeram e estavam dispostos a retornar aqui para recomeçar… do zero.

A equipe do Prometheus encontra então nossos deuses hibernando em um outro planeta, mas encontra também a essência do mal que comprometeu nossa criação. Essa essência é misturada novamente ao DNA humano em uma tentativa do andróide David (Michael Fassbender) de encontrar algum sentido para sua vida, de ser ele mesmo um deus. O experimento, que é abortado em uma cena agoniante protagonizada pela cientista Elizabeth Shaw (Noomi Rapace), dá origem a uma outra espécie, mais malévola ainda, que, no final, consumindo ela o corpo de um dos nossos criadores, dá origem ao Alien que nós conhecemos, um misto de divindade, humanidade e maldade pura que alguns anos depois seria o oitavo passageiro de uma aeronave qualquer.

Nós, portanto, somos o produto de um erro e, por isso mesmo, nosso deus (ou deuses) tentam nos destruir. O retorno a ficção científica do Ridley Scott, além de produzir cenários lindíssimos enriquecidos pelo uso do 3D, coloca em debate o conceito de perfeição divina e do livre arbítrio. Cada um entenderá algo e acreditará no que quiser (ou no que o seu conhecimento lhe permitir), mas é inegável que a discussão é sempre positiva. Por tudo isso, afirmo que Prometheus é um dos mais importantes e instigantes filmes do gênero dos últimos tempos.

Anúncios

»

      • Acredito que todos aprenderão a flexão correta de tornar-se e que este quando referir-se a 1 Pessoa será escrito tornar-se-ão e não tornarão-se. Abraço.

  1. Tenho medo de suas previsões, vide “Speed Racer”. Até hoje estou esperando a chamada “revolução” que vc disse que o cinema iria apresentar após esta incrível “obra de arte”. Assistirei Prometheus no final de semana.

    Dica: http://www.rockinweb.com.br/

  2. discordo em vários pontos da sua critica, mas nos concordamos no mais importante, Prometheus é o filme mais legal desse ano.

    ***SPOILERS***

    A sua tese é bem plausível e eu também cheguei a pensar nisso, mas quando vi o filme uma segunda vez percebi que alguns detalhes.

    O Alien do final do filme ta muito longe de ser o nosso querido e amado Alien, ele esta sendo chamado de Proto Alien na net e não acredito que ele realmente vá gerar a Alien queen, porém eu não sei dizer se o Proto Alien foi um acidente(acredito que ele seja um espécie de Alien que foi abortado muito antes de estar completo e quando aquele bicho entrou em contato com um ambiente estranho ele se desenvolveu de forma inesperada, gerando uma versão primitiva e gigante do facehugger.) ou se a Alien Queen que foi uma mutação/acidente.

    A lua em que se passa prometheus é diferente da lua em que se passa Alien o Oitavo passageiro, mas um motivo para o que aconteceu ali não afetar muitos os eventos do filme original e isso também permite as ”falhas de continuação” que muita gente anda reclamando na internet.

    faltou dizer que o Fassbender ta um monstro como o cyborg, ele é o verdadeiro personagem que me assustou durante o filme. Oscar pra ele!

    Os engenheiros ja planejavam fazer o alien a um tempo, no filme mostra duas vezes um painel do Alien , e algumas pessoas afirmam verem o facehuger no painel também(eu não consegui enxergar ele…) http://i733.photobucket.com/albums/ww336/Wilv79/vlcsnap2012053020h15m11.jpg (tenho certeza que você percebeu isso, mas é bom colocar).
    ******
    Quando eu assisti o filme novamente com um olhar critico eu percebi alguns errinhos que me perturbaram um pouco, mas nada que justificasse as criticas negativas feitas ao filme, acho que Prometheus talvez tenha falhado para muita gente por dar mais duvidas do que respostas, e por ser inferior ao primeiro Alien(o filme não TÃOOOO bom assim) mas pra mim ele supriu a cota de boas ficções cientificas que eu precisava!(sejamos sinceros, não sai algo do gênero tão bom quanto Prometheus a muito tempo!)

    Apesar dos erros (de lógica e desenvolvimento dos personagens principalmente) Prometheus é o filme mais legal desse ano por enquanto, e estou muito feliz em te-lo visto no cinema, não achei somente um filme inteligente e interessante, é muito divertido também.

    Muita coisa que falei aqui é puro achismo, mas assim como você falou de suas teorias do filme fiquei com vontade comentar algumas das minhas.

    • acho que eu não deixei muito claro no meu comentário, mas eu gostei MUITO do filme.(na minha opinião só Django Unchained pra superar esse ano)

    • Acho que esse teu comentário foi um dos melhores que o blog já recebeu, muito obrigado mesmo por vir aqui e compartilhar seus pontos de vista sobre o filme e suas teorias. Eu me atentei mais (e me diverti mais) com a parte, digamos assim, filosófica do roteiro. No tocante as ligações com o primeiro Alien, posso apenas concordar com o que tu disse visto que tu aparenta conhecê-lo melhor do que eu. Abraço.

  3. Sim, o filme tem alguns pecados:
    1-Onde deixam o capacete quando descobrem que o ar é respirável?
    2-Como Elizabeth Shaw consegue correr tanto após terrivel cirurgia extirpadora no seu utero?

    Mas o grande pecado é o Ridley Scott não querer dizer o que estava se passando naquele planeta. Que tipo de atividade estava ocorendo naquele planeta e qual o motivo de a Terra estar sendo alvo de destruição através dos ovulos aliens?

    • 1 – Realmente, não tinha reparado nisso.
      2 – Minha noiva também achou isso absurdo, mas mostram ela caindo várias vezes e o equipamento é bem avançado, vai ver que o “pós” dela também é melhor rs

      Acho que o motivo do plano de destruição do planeta é, como foi falado no texto, o “erro” cometido no momento da criação.

      Obrigado pelo comentário 🙂

      • Adorei o filme, mas em relação à cirurgia na mulher, fiquei pensando: Se era pra ela sair correndo depois, porque não colocaram uma máquina que reconstituísse músculos – estamos no futuro, poxa – ao invés de uns grampos direto na barriga!

  4. O filme é muito bom, muito divertido, visualmente é lindo, mas tem problemas que prejudicaram demais. Os furos no roteiro são ridículos, como o David infectar Charlie sem qualquer motivo, explicação, simplesmente largaram de lado. E isso é um acontecimento importante na história, pois acabou criando o monstro final, que seria o primeiro Alien em si (foi o que entendi pelo menos). As ações idiotas dos personagens também foram duras de engulir, vai toca numa naja alien, sendo um covarde? Vai entender o que passou na cabeça dos roteristas na hora que escreveram isso… Como fui assistir o filme sem ter nem noção que tinha ligação com o alien, mesmo com as falhas graves, adorei. Mas acho que muitos fãs do Alien vão ficar decepcionados.

    • Ele perguntou oque o cientista faria para descobrir oque veio buscar, e ele respondeu qualquer coisa. sendo assim o robô fez oque fez para ajuda-lo

  5. Caraca eu odiei esse filme cara ele nao tem quase nada ridley scott me decepcionou eu esperava muito mais … que merda de filme

  6. ZzzzZz Filme muito bom, com varias interpretações…. simples assim, você pode expor 1000 fatos para fundamentar algo, mas existe outros 1000 que apontam em uma direção totalmente diferente… As pessoas tem de aprender a apreciar um filme sem tentar convencer que o ponto de vista delas é que é o correto u.u!

  7. sinceramente achei o filme ótimo
    se a pessoa não entendeu é por que não se concentrou no mesmo
    o que o David queria quando “envenenou” o carinha lá era justamente controlar uma nova vida assim como nós controlávamos ele (já que ele era um robô criado por nós) assim como nós somos os criadores de David,ele queria ser criador de alguém. mas as coisas saíram do controle.
    aquele liquido preto na verdade seria uma espécie de veneno pro ser humano(como os engenheiros possuem o mesmo DNA que o nosso eles se destruíram com o mesmo e pretendiam fazer o mesmo conosco, já que ao que deu pra entender(de minha parte) aquele liquido preto veio da terra.como espécie de presente nosso a eles no passado, quando eles iriam devolver a nós ocorreu o que aconteceu no filme.ou esse liquido veio do planeta dos criadores dos engenheiros.

  8. Eu acho que o maior pecado do filme, foi ter vendido ele como uma coisa nos trailers e terem apresentado outra, aliás, o trailer do Prometheus e do Oitavo passageiro são muito semelhantes. Além disso, ficavam vomitando as imagens da nave do Space Jockey caindo, dele subindo na cadeira, fazendo-nos acreditar que os acontecimentos do filme tinham relação com os do primeiro Alien, mas no final se passaram em planetas completamente diferentes e quem queria ver porque aquele engenheiro do LV-446 estava com um furo no peito e um compartimento cheio de ovos da criatura, ficou a ver navios.

    Outra coisa, você já chegou a ver as pinturas do artista H. R. Giger? Foi ele quem criou o Alien a pedido do Ridley Scott, teria sido legal se tivessem botado ele no filme com seu desenho original ao invés da versão “Proto”, com os efeitos em CGI, pela primeira vez ele poderia ter saído como foi pintado.

  9. O grande problema é a total e completa burrice cientifica do filme, o senhor Ridley deveria ter contratado um consultor para os assuntos cientificos do filme, pq, sério, DNA 100% compativel? Geólogo que se perde em caverna tendo um localizador?? Biólogo que não reconhece o potencial dano de germes no ambiente e de uma “cobra” alienígena? Os dois protagonistas agindo como duas criancas burras e sem prudencia? Fala sério, que filme ruim.

  10. Na minha Humilde opinião, este foi apenas o primeiro filme de pelo menos mais um ou dois que virão…o final de Prometheus em tudo dá a entender que algo mais existe entre este filme e o Oitavo Passageiro. Creio que é apenas uma questão de paciência da parte dos fans pois nem de longe acredito que Ridley Scott tenha tido tanto trabalho para deixar todos questionados, simplesmente não está no seu Modus Operandi.

    Abraço a todos e boa crítica ao filme….

  11. Cara eu nunca tinha pensado nisso, e não tinha entendido nada. Realmente com a sua explicação fez com que o conceito de péssimo filme mudasse para mim. Bom Post.

  12. O alien que se vê no fim do filme não é o mesmo do primeiro filme “Alien” pois é uma lua diferente, e pq o alien do primeiro filme nasceu de um ovo que grudou no rosto de um viajante e não estava totalmente formado.
    Não vi alien nenhum nos afrescos das paredes da nave, aquilo provavelmente é uma referência ao artista HR Giger que desenhou toda a arte do primeiro filme, este é o seu estilo.
    Não ficou claro em nenhum momento que os engenheiros estão vindo destruir a Terra, creio que o engenheiro acordado na nave ficou muito aborrecido com o motivo extremamente egoista que levou o milionário Weyland até ele, este desejava a vida eterna, e talvez o fato de um andróid ter feito essa pergunta seja uma ofensa ao semi-deus.
    David queria apenas fazer uma experiência ao infectar um humano com o líquido preto, talvez David seja tão curioso quanto um humano ou foi programado assim.

  13. Gostei do filme, apesar dos erros médicos e científicos grosseiros, pois a parte filosófica dá muito no que falar. Sem dúvida, a criatira mais assustadora do filme é David e o perigo q ele representa para a raça humana, e isso ainda vai ser matéria para um próximo filme, ao que tudo indica. Tem muitas coisas q não entendi, por exemplo, pq a cabeça do engenheiro trazida para a nave explode, pq nasce um polvo se o DNA se modifica em estruturasais complexas após ser exposto a tão interessante substância negra… Gostaria de mais explicações durante o filme, alguma frase q o engenheiro falasse ao David antes de decapitá-lo, já seria animador. Mas como disse, curti.

  14. Sou muito fã dos aliens assim como dos predadores,
    E esperava muito deste filme, mas muito mesmo.
    O maior erro do filme, é o roteirista.
    Como Ridley não percebeu isto. A direção é boa, mas ele devia ter llido e dito, que porcaria.
    É confuso, cheio de erros, como ja foi descrito aqui pelos nossos colegas. e deixa muita coisa no ar, que talvez seja explicado em uma sequencia. sei la.
    Mas é uma escolha perigosa, pois pode afastar o publico do proximo filme.

    Teve muita coisa legal, como os efeitos e algumas cenas, mas no geral, esperava mais.
    Porem, teve coisa no filme que não deu pra engolir:
    O bicho sai da barriga da mulher e fica preso na sala sem ninguem ver ou saber de nada. e se um desavidado entra la, ja era. Ate a propria personagem esquece dele.

    Cientistas estudados colocando a mao em uma criatura desconhecida em um planeta hostil. Para né. Pareciam estudantes bobos de universidades americanas.

    O robo infectando o copo dele, pra que?

    Agora a sequencia, nao sei como será, pois temos um alien que saiu da barriga do “deus” e um outro que saiu da boca de um dos cientistas que sumiu no escuro.

    Muitos erros mesmo.

    Ta dificil esta turminha fazer uma sequencia boa de um personagem “vilão” tão querido.

    Agora é esperar

    • a respeito dos cientistas como estudantes bobos:

      esse é o futuro …as maquinaS AUTOmatizam tudo e sABEM TUDO..NOS simplismente apertamos botoes..bobos mesmo, como vc diz…

      )

  15. Uma das coisas que mais me deixou encanada foi a questão do Space Jockey (O Engenheiro ou Deus) que aparece no filme do Alien e o que aparece, numa cena muito parecida, se deitando sobre aquela mesa-controle da nave no filme Prometheus. > http://www.ifc.com/wp-content/uploads/2011/12/1222-prometheus-alien.jpg . Se o Space Jockey está morto no filme do Alien em 1979, porque no Prometheus, ele consegue embarcar com a nave, pra depois morrer em outra cena. Algumas pessoas disseram que pode ser que a nave que eles encontram no filme de 1979 seja outra. Mas quem viu os dois filme sabe que, a nave do Alien de 1979 estava destruída e na superfície, e a nave do Prometheus, estava subterrânea e após sair do fundo daquela “caverna” foi destruída e por lá mesmo ficou, na superfície, o que me leva a supor que é a mesma nave. Então, por que esse “erro” do Space Jockey não ter ficado no local que ele foi encontrado no filme do Alien o 8° Passageiro?

  16. Como pode ser o primeiro alien se no filme a história se passa no ano 2090 e em um dos fimes do Alien ele vem à terra trazido pela nave do predador no ano 2000? Há uma grande diferença de datas nessa história que não bate. Ele voltou do futuro? hahaha…acho que não. Fica a pergunta!

  17. Gostei deste filme, uma ficção ciêntifica para refletir e nõa para induzir, uma vez que para os que nõa creem no criacionismo , a origem da vida ( tal qual fim da mesma ) continua um mistério. Para pensar um pouco: A cientista Elizabeth ( mulher corajosa que nõa quis ser cobaia de uma nova espécie como é costume dos cientista humanos a qq preço a fim de saber novas verdades )mostrou a valorização da vida dela, achei lindo que ela, apesar de ser uma cientista, e 99,99999999…% deles serem ateus, ela cre em algo maior, espiritual, simbolizado ali pelo crucifixo que ela carrega o tempo todo, deixado de lado por um pouco de tempo, e retomado ainda com maior fé, uma vez que ao serem respondidas uma tantas perguntas, outras surgiram, e o filme termina ela disposta a ir, ate onde fosse possível, na sua condição humana e através de mecanismos humanos, a buscar a origem e finalidade da criação humana ou alien que seja ,ainda nõa totalmente respondida até ali, e se nós , segundo o criacionismo o qual eu creio, fomos feitos a imagem e smeelhança do Criador de todas as coisas ( incluindo aliens ) e pelo filme somos muitissimo parecidos com os caras pálidas com corpos excepecionais de perfeitos,nõa sei o por que de questionamentos de virmos de Deus. A Aberração do alien feioso (8º passgeiro que tambem gosto muito da franquia ) como simbolo do mal, tem tudo a ver. Esta no nosso DNA o mal e o bem. Nao esqueçamos que o megarobo inteligentissimoe capaz, nõa era indestrutivel, e precisou da ajuda humana para se recolocar de pé. Eu gostei muito deste filme, e minha fé nõa foi abalada em nada,pois quanto mias tentam confundir, mais me esclarecem que se foi de big bam, alguem paertou, se foi de caras palaidas , alguem maior os criou, enfim, sendo produtos finais ou nõa, nesta longa e maravilhosa jornada chamada vida terrena, há sinais no nosos planeta, aop opngo da historia, de onde viemos, já para onde vamos é algo que kada um é livre para escolher, crendo ou não em algo. Quando vc sabe quem está te esperando fica mais fácil saber e confiar para onde se vai. Gostei dest blog, mesmo sem concordar com tudo. Ora e nõa é esta a finalidade do livre arbitrio ? O meu direito termina no meu dever de tambem respeitar o outro ser, de ser o que quiser. Somos o que defendemos.

  18. Pingback: As Aventuras de Pi (2012) « Já viu esse?

  19. Pingback: Oblivion (2013) | Já viu esse?

  20. Pingback: O Homem de Aço (2013) | Já viu esse?

  21. Pingback: Interestelar (2014) | Já viu esse?

  22. Pingback: Êxodo: Deuses e Reis (2014) | Já viu esse?

  23. Pingback: Alien: Covenant (2017) | Já viu esse?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s