Guerreiro (2011)

Padrão

“Concentra no filme, no filme…”

… ok. Temos esse ex-fuzileiro naval, Tommy Conlon (Tom Hardy) que acabou de retornar da guerra. Sem o que fazer e consumido por uma raiva de raízes familiares, Tommy retoma o velho hábito de lutar e procura o pai (Nick Nolte em atuação indicada ao Oscar) para treiná-lo. Tommy quer participar do badalado torneio Sparta, oportunidade onde os 10 maiores casca-grossas do MMA do planeta irão reunir-se para quebrar alguns ossos. Além de poder descontar todas suas frustrações no lombo de alguém, Tommy espera ganhar o prêmio de 5 milhões de dólares oferecidos para ajudar a esposa de um amigo morto em combate no Iraque. Com a casa hipotecada, o professor de física Brendan Conlon (Joel Edgerton), irmão de Tommy, também começa a preparar-se para o torneio visto que, fora ensinar os alunos que F= M.A, Brendam também é um lutador talentoso e precisa de grana para salvar seu lar. Separados desde a adolescência devido a um trauma familiar, os dois irmãos terão no torneio a chance de resolverem suas diferenças. Isso, é claro, se eles conseguirem vencer o russo invencível, o truculento Koba.

Pare. Clique aqui. Continue lendo.

HELL YEAH, PORRADA! Esqueçam essa histórinha manjada de briga familiar, dentro do filme ela só serve para dar uma oportunidade ao veterano Nick Nolte de entregar uma bela atuação. Guerreiro, título deveras genérico que por pouco não matou meu interesse pelo longa, é a versão adulta do legalzão Gigantes de Aço, um filme onde o que verdadeiramente importa são as lutas e tudo aquilo que está relacionado a elas, como provocações, narradores sem noção (ACABOU!ACABOU!), músicas de entrada grandiosas e lutadores cujos músculos só não são maiores do que a arrogância com a qual eles dirigem-se aos adversários.

Enquanto o Joel Edgerton faz o tipo Rocky, o lutador capaz de apanhar mais do que qualquer outro ser humano e mesmo assim continuar de pé à espera da oportunidade de encaixar o golpe perfeito, o Tom Hardy é um bad boy completamente endemoniado, uma máquina de nocautes contra o qual ninguém consegue passar do 1º round. Em alguns momentos, o ator me lembrou o Wagner Moura no Tropa de Elite, parece que bateram na cara dele antes das cenas, o homem está louco e com sangue nos olhos.

Todas, digo TODAS as lutas do filme são bem coreografadas e emocionantes, mas arrisco a dizer que o combate entre Koba e Brendan vai para o lado de lutas como Rocky vs. Ivan Drago, Goku vs. Freeza e Ken vs. Chun Li (duvida? clique aqui ) no hall da história da pancadaria, empolguei-me ao ponto de roer as unhas ansioso pelo desfecho.

É invegável que o impacto de Guerreiro é maior devido a recente popularização do MMA no país, vemos as lutas e reprisamos mentalmente as emoções dos combates de Anderson Silva, Cigano e cia. Diverti-me com essa selvageria assinada pelo diretor Gavin O’Connor. É por esse tipo de filme que os testosteronas totais sempre terão um espaço no meu coração 🙂

Brendan Vs. Koba

Anúncios

»

  1. Então caí no seu quase erro. Não assisti o filme justamente pelo nome, que decepção…Agora ele já está na minha lista, depois desse texto não posso deixar de olhar o filme 🙂

      • ***SPOILERS***
        Me fala onde. o irmao mais novo bate em todo mundo… dai quando ele vai brigar com o irmao mais velho cade aquele cara que bateu nos outros… desapareceu…. nao estou desmerecendo o filme… mais este final foi horrivel.

  2. Primeiro: o torneio se chama Sparta, e não Spartacus (este eh seriado tah…);

    Segundo: escreve-se “anSioso”;

    Terceiro: ótimo filme. nota 8.

  3. Saudade?

    Fred me falou essa semana que te indicou fazer um vlog e daí acabei caindo aqui no seu blog. Foi onde vi a resenha do filme.

  4. Ah, e quarto: a música eh realmente bem foda…

    Não sei se vc sabe (ou acompanha de fato), essa música eh o tema oficial de abertura das transmissões do UFC (na tv fechada).

  5. filme TOP me fez perder uma noite de sono,nao tem como começar a assistir e querer dormir durante o filme! excelente mesmo!

  6. Um filme que supera as expectativas nos primeiros minutos. Assistir e não me arrependi. Tommy Conlon (Tom Hardy) está insano e animal nesse filme chegando a dar medo. As lutas são únicas e em nenhum momento vc pensa que são coreografadas.

  7. Eu já vi esse filme. É realmente espetacular. Um dos melhores filmes de luta, MMA que eu já vi, pois não trata somente de pancadaria, ele realmente te envolve na trama e na torcida pelos irmãos. Te deixando muitas vezes torcendo pelos 2 ao mesmo tempo.

    As lutas são muito bem coreografadas e não te deixam com sono de ver ^^

    E também não foi a toa que o ator Nick Nolte foi indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante por esse filme. Atuação impecável.

    Recomendo a todos.
    Amantes ou não do MMA.

  8. Pingback: Mais Forte que o Mundo: A História de José Aldo (2016) | Já viu esse?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s