Cleópatra (1963)

Padrão

Cleópatra é um dos personagens femininos mais conhecidos da história assim como a Elizabeth Taylor foi uma das mulheres mais belas e uma das atrizes mais talentosas que o mundo conheceu. Por mais que a figura da rainha egípcia já despertasse curiosidade antes do filme do diretor Joseph L. Mankiewicz, desconfio que o épico contribuiu significativamente para o aumento da popularidade da mesma e ainda vinculou eternamente sua imagem ao belo rosto de Liz Taylor.

O filme é uma dramatização (com várias das chamadas ‘licenças históricas’) da vida adulta da rainha egípcia Cleópatra VII (E. Taylor). Começa com o encontro inusitado entre ela e Julio Cesar (Rex Harrison) quando este vai até Alexandria à procura do inimigo Pompeu e passa por eventos importantes de sua vida, como sua visita à Roma e seu envolvimento amoroso com Marco Antônio (Richard Burton).

Produção sintomática do fim da chamada Era de Ouro de Hollywood, Cleópatra foi pensado inicialmente como um filme razoavelmente modesto com um orçamento estimado em 2 milhões de dólares. A entrada de Elizabeth Taylor no elenco, a doença da atriz que parou as gravações por cerca de 6 meses e o perfeccionismo do diretor  e da equipe de direção de arte fizeram de Cleópatra o filme mais caro feito até então, com gastos aproximados de 44 milhões de dólares. Pensado originalmente para ser lançado em 2 partes (Cleópatra e Cesar e Cleópatra e Marco Antônio), cada uma com 3 horas, o filme acabou transformando-se em um épico de 4 horas de duração cuja campanha de lançamento apoiou-se no romance fora das telas entre Liz e Richard Burton (o qual, aliás, foi levado ao extremo pelo Mike Nichols no ótimo Quem Tem Medo de Virgínia Woolf?).

Ok, temos então uma figura histórica conhecida, um orçamento gigantesco e bons atores, mas e o filme? Vale a pena ou não? Sendo o mais direto possível, Cleópatra é tedioso. O orçamento foi gasto principalmente na construção de cenários grandiosos e no cuidado com detalhes que garantissem a fidelidade histórica. Caindo no clichê, o filme é um “colírio para os olhos” (e que faça-se justiça à contribuição do decote generoso da Elizabeth Taylor para tal), mas não empolga durante suas longas 4 horas com diálogos repletos de floreios e frases de efeito. Elementos que deveriam quebrar a monotonia, como as cenas de batalha, são breves e mal executados. Salvam-se as atuações do 3 atores principais, um ou outro momento onde os investimentos pesados permitiram a realização de cenas memoráveis como a entrada de Cleópatra em Roma e o drama enfrentado por César, que sente uma espécie de vazio existencial após conquistar praticamente tudo o que estava ao seu alcance e ainda assim ver-se na condição de fantoche a serviço de interesses diversos.

Levou 4 Oscars em 1964 (Melhores Efeitos Especiais, Melhor Fotografia, Melhor Figurino e Melhor Direção de Arte) e é um dos clássicos absolutos de Hollywood, mas para mim valeu mais pena pela oportunidade de ver a Elisabeth Taylor atuando do que pela diversão em si.

Esse olhar, esse olhar ...

Esse olhar, esse olhar …

Anúncios

»

  1. Pingback: Branca de Neve e o Caçador (2012) « Já viu esse?

  2. Eu nunca vi o filme mas gostaria de ver, mas tenho pessoas que já viram e que acharam o filme mais romantico do que dramático. Realmente é pena estes atores tão bons terem feito um filme com esta qualidade porque quando era a parte das batalhas (pelo menos foi a minha avó que disse) não se percebia nada. Acho que de r esto penso que não me disseram mais nenhuma crítica. Por o que ouvi falar penso que esta versão do filme Clepatra foi a melhor e acho que sim porque o último filme Cleopatra que saiu e eu vi achei um pouco pesado de mais. Mas vou tentar ver esta versão e depois vou comentar com mais segurança. 🙂

  3. Pingback: Júlio César (1953) | Já viu esse?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s