Interlúdio (1946)

Padrão

Demorou, mas finalmente (e infelizmente) eu encontrei um filme do Hitchcock que não me agradou completamente.

Interlúdio conta a história de Alicia Huberman (Ingrid Bergman), a filha de um homem que é preso nos EUA acusado de ajudar os alemães durante a Segunda Guerra Mundial. Decepcionada e só, Alicia entrega-se a uma vida de excessos até ser contactada por Devlin (Cary Grant), um agente do governo que deseja que ela use sua influência para aproximar-se dos amigos do pai dela que estariam escondidos no Brasil. Alicia aceita a missão e vem para o Rio de Janeiro acompanhada por Devlin, local onde ela acaba envolvendo-se além da conta com o trabalho.

Reconheço que parte da minha decepção com o filme vem da expectativa que eu mesmo criei antes de assistí-lo. É um erro ver Interlúdio com Psicose, Janela Indiscreta ou Um Corpo Que Cai em mente. O suspense pelo qual o diretor é conhecido não é usado aqui para encobrir a identidade de um assassino ou para nos levar até uma reviravolta no roteiro. A narrativa em Interlúdio é baseada no simples desenrolar dos fatos e, fora isso já representar uma novidade para quem está mergulhando agora na filmografia do diretor, a história também não me surpreendeu.

Alguns filmes acabam sendo vítimas de seu próprio sucesso/originalidade por gerarem um número sem fim de cópias e similares que, com o tempo, fazem o original parecer datado e trivial. Não tenho conhecimento suficiente para dizer se esse é o caso de Interlúdio, mas a história do agente infiltrado simplesmente não consegue mais sustentar um filme hoje em dia, quanto mais uma produção feita há 65 anos quando a linguagem cinematográfica era bem diferente do que vemos atualmente (faça-se justiça: em muitos pontos não houve evolução, da até para dizer que muita coisa piorou).

O humor de Cary Grant aqui não está tão afiado como aquele que pode ser visto em Intriga Internacional e a cena da xícara, por mais legal e bem filmada que seja, é modesta perto daquilo que o Hitchcock apresentaria em seus próximos trabalhos.

Interlúdio conta com comentários empolgados e com uma respeitável nota 8.3 no Imdb mas, por mais que eu seja fã do diretor e reconheça o belo trabalho cinematográfico por trás do filme, não pude deixar de ficar entediado em várias partes e decepcionado com a conclusão da história. Pode ser uma questão de anacronismo ou pode ser que o filme realmente não seja lá essas coisas. De qualquer forma, opto pela sinceridade.

Anúncios

»

  1. Pingback: Ladrões de Bicicleta (1948) « Já viu esse?

  2. Pingback: Topázio (1969) « Já viu esse?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s