A Fronteira (2007)

Padrão

Responda rápido: Qual a primeira coisa que vem na cabeça quando você pensa em… França?!

  • Zidane
  • Nicolas Sarkozy
  • Filmes de Terror

Se você respondeu “Zidane” é bem provável que você seja uma pessoa rancorosa. Esqueça o passado e siga em frente (pelo menos até a próxima Copa do Mundo). Se você respondeu “Nicolas Sarkozy” e é homem, devo dizer que desconfio de você. Imperdoável lembrar dele e esquecer a Carla Bruni. Se respostas como “Torre Eiffel” apelariam para o óbvio, o que pode ser dito de alguém que responde “Filmes de Terror”? Esses dias um leitor do blog comentou aqui sobre uma suposta “nova geração de filmes de terror franceses” e, após assistir o excelente A Fronteira, eu posso dizer que também comecei a associar o país ao gênero.

Os roteiristas de filmes de terror costumam ser pouco criativos na hora de criarem situações que levarão as vítimas até os assassinos (quantas vezes você já viu a história do carro que quebra no meio de um lugar deserto?). Nesse quesito, o diretor Xavier Gens aposta em algo tipicamente francês e já começa bem: lembra daqueles protestos franceses onde os manifestantes colocam fogo nos carros? Aqui a população está protestando contra a eleição de um presidente conservador e cinco amigos são perseguidos pela polícia por terem se envolvido nos incêndios. Um deles é baleado na fuga e o grupo divide-se em dois: um vai com o ferido para o hospital e o outro foge para a fronteira do país e hospeda-se em um hotel barato enquanto espera pelos amigos. A turma do hotel julga-se sortuda quando, além da hospedagem, eles conseguem transar com as funcionárias. A felicidade deles acaba quando eles descobrem que as pessoas que dirigem o estabelecimento são uma família de (PAUSA) … CANIBAIS NAZISTAS! HELL YEAH!

Com um roteiro desses, A Fronteira pode facilmente ser confundido como um terrir, gênero tão importante para a carreira de diretores como o Sam Raimi (só para deixar claro, eu ADORO o Arrasta-me Para o Inferno), mas mesmo para os apreciadores de humor negro é difícil encontrar motivos para rir durante a 1h48min do filme. Peguemos um exemplo de filme que pode ser associado atualmente com a sanguinolência: Jogos Mortais. A cine-série do assassino Jigsaw torna-se agradável aos olhos depois de A Fronteira. Tendões cortados, tiros no rosto e um personagem que é cozido vivo garantem calafrios e agonia extrema mesmo para quem achou que já tinha visto de tudo (quanta inocência!) em filmes de terror.

Se a “idéia” para o filme (que por mais bizarra que seja lembra O Massacre da Serra Elétrica) não é exatamente nova, A Fronteira conta com cenas gore e personagens doentios para satisfazer qualquer fã de filme de terror. Prepare o estômago e confira.

Anúncios

»

  1. Eu gosto do Zidane. E gosto pelos mesmos motivos que fazem boa parte dos brasileiros odiá-lo. E quanto ao filme, ele é bom, perfeito pra assistir no dia dos namorados…

  2. Assistir um filme de terro frances ótimo recomendo o nome é A INVASORA é meio amador tem um efeito especial ruim mais é sangue no olho rsrsr o roteiro é ótimo de prende do inicio ao fim

  3. Pingback: Os Olhos da Cidade São Meus (1987) « Já viu esse?

  4. Pingback: A Casa dos Sonhos (2011) « Já viu esse?

  5. Pingback: Vida Cigana (1988) « Já viu esse?

  6. Pingback: Martyrs (2008) | Já viu esse?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s