Coração Valente (1995)

Padrão

Coração Valente é o filme que todo mundo já viu e que todo mundo gosta. Quem importa-se com o  roteiro maniqueísta cheio de furos históricos e preconceitos quando você tem batalhas onde discursos inflamados são feitos antes de carnificinas que são mostradas nos mínimos detalhes?

O vencedor de 5 Oscars conta a história de William Wallace (Mel Gibson), um escocês que no século XIII reuniu os vários povos da Escócia na luta contra o rei inglês Eduardo I pela conquista da liberdade. O épico de aproximadamente 3 horas começa com Wallace ainda criança vendo o pai ser assassinado, passa pelo casamento dele com uma aldeã e segue com a resistência escocesa à dominação inglesa que, sob o comando do guerreiro, transforma-se em uma revolta popular com o objetivo de libertar a Escócia do domínio de Eduardo I.

O roteiro, escrito por Randall Wallace (Wallace afirma ser descendente do herói do filme, informação que ele mesmo reconhece não ter como comprovar mas que também não tem como ninguém dizer o contrário rs) foi escrito com o intuito de que o filme fosse “baseado em fatos históricos”. As famosas “licenças dramáticas”, no entanto, permitiram que os kilts fossem usados pelos escoceses em uma época onde não existia essa prática, que colocassem em dúvida a paternidade de um dos filhos do Príncipe de Gales, alegando que ele seria de Wallace quando, na verdade, o guerreiro morreu 10 anos antes do tal filho ser nascido e, claro, o fato do mesmo Príncipe ser mostrado como um provável homossexual em uma tentativa de provocar uma antipatia no público para com o personagem e seus gestos estravagantes, quando o seu correspondente natural foi pai de pelo menos cinco crianças. Claro que isso não quer dizer muita coisa, mas não havendo nenhum outro registro de que ele fosse gay, a caracterização foi entendida como homofobia e gerou protestos de grupos homossexuais.

Como eu disse, esses detalhes passam a ser meras curiosidades quando entramos dentro daquele mundo. As batalhas, que ocuparam mais de 90 horas de material gravado, marcaram tanto pela coordenação de um número sem fim de figurantes, do uso de cavalos mecânicos construídos  especialmente para a cena (que ficaram tão reais que o diretor foi investigado por associações de proteção aos animais por cenas onde eles são “maltrados”), pelos discursos anteriores as batalhas que viraram moda nos épicos posteriores e, claro, pela violência explícita que passaria a ser uma constante nos trabalhos seguintes do diretor (Paixão de Cristo e Apocalypto). Gibson pode até parecer velho demais para o papel de Wallace (conta-se que ele só interpretou o personagem por exigência da Paramount), mas como diretor o trabalho dele foi preciso: Coração Valente é emocionante, tem boas cenas de ação, boas atuações e, apesar das simplificações que muitas vezes tornam os personagens unilaterais, passa uma bela mensagem sobre viver intensamente e não sujeitar-se a governos tiranos. “FREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEDOM!!!” pode até soar piegas mas, quase 16 anos depois, ainda é emocionante pra caralho =)

Anúncios

»

  1. Tem outro erro histórico que é o Prima Nocte lá, não sei se o latim está certo, mas é quando o nobre tem o direito de ter a primeira noite com a recém casada da região que comanda.
    Isso nunca aconteceu no Reino Unido, na Itália sim!

  2. É um filme ruim, mais uma tentativa de manipulação de Hollywood para mentes pequenas… Alterar fatos históricos para idiotas.

      • Esse filme é muito bom mesmo, apesar destes erros , mas qual filme nao tem erros.
        Nada é perfeito

  3. Com relação a ser ruim eu respeito sua opinião, gosto é gosto. Agora com relação a “alterar fatos históricos para idiotas” eu não concordo, tanto porque trata-se de ficção (mesmo que tentem vender o filme como algo baseado em fatos reais) quanto porque “mente pequena” e “idiota” dependem do referencial. Uma hora somos nós que apontamos o dedo, no momento seguinte estão apontando para nós. Acho mais saudável evitar esse tipo de coisa.

  4. Não seu bem de onde tiraram essa informação de que na guerra de indepedencia não se usava kilt na verdade o tartan e o moto ja era usado desde o reinado de Duncan I (Donnchad mac Crínáin) mas não era uma saia e sim uma especie de toga talvez dai vem a afirmação de que eles eraram pois não havia kilt, realmete não era uma saia e sim uma toga que erolada no corpo servia ate de lençol na lida no campo, fato que e mostrado no filme.

  5. Ta lá no imdb: Wallace and many other Scottish characters ride horses while dressed in kilts. Even in times and places where the kilt was genuinely worn (it wasn’t worn anywhere in Scotland in Wallace’s time, and at no time in history was it worn in Wallace’s part of Scotland), men who expected to ride anywhere wore trews, not kilts, for the very good reason that it would have been an extremely painful and impractical experience; no underwear was ever worn under the kilt.

  6. eu vi isso tambem, mas ao que parece ele se refere ao kilt saia que não e um vestido, veja que no filme Wallace deita e se cobre com uma parte dele, os kilt tradicionais do seculo 18 so tinham uma faixa trasversal e eram saias e na epoca da querra de indepedencia eram vestidos estilo togas.

    os dois eraram os que tentaram força a barra no filme e os ingles que tentarm desacreditar o filme porque mostrava uma inglaterra imperialista sobre os escoceses o que e um fato historico e foi ate amenizado no filme pois se fosse mostrado o que eles fizeram era provavel causar uma comoção nos escoceses.

  7. Pingback: Fúria de Titãs 2 (2012) « Já viu esse?

  8. Pingback: Até o Último Homem (2016) | Já viu esse?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s