Speed Racer (2008)

Padrão

No livro O Grande Filme: Dinheiro e Poder em Hollywood, o jornalista Edward Jay Epstein relata um aspecto da produção cinematográfica com o qual pouca gente deve estar familiarizado: 90% dos filmes feitos atualmente dão prejuízo nas bilheterias. Mais estranho ainda é a idéia de que, fora em projetos gigantescos como Avatar, O Senhor dos Anéis e Harry Potter, os produtores já esperam esse prejuízo antes mesmo do filme começar a ser filmado. Adiantando a resposta para a pergunta que vocês devem estar se fazendo, não, eles não são loucos que jogam dinheiro fora para satisfazer nossa sede por filmes. Com o aperfeiçoamento dos aparelhos de reprodução de vídeo domésticos e com a popularização dos canais de filme pagos, a maioria dos filmes recupera o investimento financeiro com vendas de DVD’s, BlueRays, licenciamento para canais pagos, jogos de videogame e outros produtos que possam aproveitar a marca (alimentos, brinquedos, roupas, etc).

Speed Racer estreou dia 11 de maio de 2008 nos EUA com um orçamento aproximado de 120.000.000 de dólares, tendo rendido “apenas” 44.000.000 em território americano três meses depois. Produzido e dirigido pelos irmãos Wachowski, foi vendido como um filme “dos criadores da Trilogia Matrix” e foi tão ou mais massacrado pela crítica do que o Matrix Revolutions. Entre outras coisas, disseram que o filme era “infantil demais”, que era muito colorido, que abusavam dos efeitos especiais e que a história carecia de profundidade, passando longe de lembrar o complexo emaranhado de filosofia, religião e cultura pop presentes no Matrix. Tais críticas  somaram-se a tradicional resistência do grande público a filmes que procuram romper com o convencional e como resultado o filme “afundou” nas bilheterias e ficou estigmatizado como um filme ruim (nota 6.2 no IMDB, abaixo de filmes sofríveis como essa bomba aqui).

O tal prejuízo da bilheteria não me assusta (e, só a título de curiosidade, o filme recuperou o investimento com vendas de DVD’s, BlueRays e licenciados). Filmes que você precisa assistir junto com o Tico e o Teco (e olha que aqui nem é tanto o caso) poucas vezes ganharam o reconhecimento do povão. O estranho é que a tal crítica “especializada” tenha detonado tanto o filme.

Speed Racer, como muita gente parece saber (mas parece não fazer as ligações necessárias), é baseado em um popular anime japonês da década 60. Speed Racer, o piloto, é um jovem apaixonado por velocidade que dirige o poderoso Mach 5 pelas pistas do mundo correndo contra vilões caricatos. Muitas da vezes, as aventuras de Speed transcendiam as pistas e o Mach 5 era usado para combater bandidos e missões arriscadas. Speed Racer, o filme, é a transposição desse anime para as telas de cinema com toques psicodélicos, toneladas de efeitos especiais e referências a linguagem dos animes característicos dos trabalhos dos irmãos Wachowski. Era isso que poderia ser esperado da adaptação de um anime e foi isso que pode ser visto nas telas dos cinemas. Claro, era preciso saber olhar e reconhecer certas coisas, mas aí já é pedir demais. Arrisco a dizer que os Wachowski sabiam disso e, felizmente, eles não tiveram medo de arriscar.

Speed Racer é divertido. Se você não gosta de animes, encare ele como um Corrida Maluca. Os carros dos personagens estão cheio de armas e bugigangas que podem ser ativados a qualquer momentos fazendo os veículos saltarem, escalarem paredes ou cortarem uns aos outros com serras gigantescas. Entendo que essa linguagem pode não atrair quem gosta de filmes de carros tunados dirigidos por bombados carecas mas, como a história ainda provará, Mario Kart > Vin Diesel.

Com relação a história, ela reflete bem o “dilema” dos diretores. Speed (Emile Hirsch) corre para mostrar que a arte de pilotar deve ser o principal motivo para um piloto dirigir. “Pure Racing”, como dizia o saudoso Senna. Falar que os diretores não estavam preocupados com lucro é uma inocência, chega até a ser idiota, mas certamente eles tomaram algumas decisões arriscadas em nome da “arte” ao adaptarem Speed Racer.

Assisti o filme pela quinta vez e ainda me emocionei com o diálogo entre Speed e a Mamãe Racer (Susan Sarandon), quando ela diz que fica sem ar ao vê-lo pilotar, que é como se ela estivesse vendo um artista pintando. Ri muito do Gorducho e do macaco Zequinha com suas lutas e brincadeiras. Babei na corrida de Casa Cristo com seus cenários variados e disputas emocionantes através do deserto e de montanhas cobertas de neve. Adorei como todos os personagens recebem espaço dentro da trama, desde a Trixie que acaba dirigindo em uma das corridas até o Sparky que tem um belo diálogo com o Speed antes da última corrida e o ajuda a cruzar a linha de chegada. Sobre essa última corrida, basta dizer que a forma como ela termina é simplesmente sensacional, é um daqueles momentos mágicos onde eu simplesmente não consigo segurar as lágrimas diante de algo que não dá para explicar, é tudo que eu gosto relacionado a cinema reunido da forma mais legal possível.

Espero que um dia esse filme ainda receba o devido reconhecimento. Seja por sua edição inspirada, pelas boas atuações ou simplesmente pela diversão pura e simples, Speed Racer é um dos meus filmes favoritos. Se você não gosta, o prejuízo é TODO seu.

Go, Speed! Go!

Go, Speed! Go!

Anúncios

»

  1. Esse filme é fantastico.
    As pessoas que acham ruim é porque não lembram que É UMA ADAPTAÇÃO DO ANIME!!!
    E uma adaptação perfeita. A história continua a mesma, as roupas, os personagens…muda apenas as coisas chatas do desenho xD
    Todo o ritmo é no ‘go speed racer go”
    Claro que se for assistir esperando um filme de carros, você se decepciona, não é um filme de carros é uma adaptação do anime.
    Veio pra mostrar que da pra fazer adaptações americanas sem estragar tudo, como no caso de dragon ball.

  2. a última corrida é loca demais, principalmente quando o carro tem de ser “reiniciado”… eu sei que se eu fosse do tipo que chora assistindo filmes, eu teria chorado quando o carro volta a funcionar e o speed completa a volta batendo o record da pista… um dos meus filmes favoritos, e o fato de parecer video-game, como disse o colega aí, é na verdade um grande atrativo.

  3. Haters Gona hate in 3…2…1
    Bom..foda-se…eu curti muito o filme, na verdade eu adorei, não vejo por que falar mal dele…quem diz q é ruim é pq é ignorante, filmes são vários tipos de gostos e gêneros, se tu não gosta de um filme com referências a um Animê…então por que caralho foi assistir o filme?
    Esse povo é muito burro…

    • Quem disse que é ruim não é ignorante, é porque não gostou mesmo, como vc mesmo disse gosto cada um tem o seu, além da liberdade de opinião e escolha. E se a pessoa assistiu é porque ela queria assistir, filmes de mesmo gênero podem atender a vários gostos. Digamos você por exemplo, se não gostou dos filmes de terror que viu até hoje você nunca mais vai assistir nenhum do gênero?

  4. Bom post cara! Concordo com vc. Claro que gosto é gosto, e não podemos justificar o porque a maioria não tem um gosto ou um olhar bom para filmes. O problema ta na massificação. Porém, mesmo um filme sendo injustiçado, não tenho vergonha de dizer que gosto dele por N motivos. O filme é legal, e traz para a atualidade, um personagem antigo, mas com carisma de sobra. Valeu!

  5. Concordo com tudo q vc disse. Quando esse filme foi lançado, nem liguei pra ele por causa das críticas, mas depois comprei o blue-ray pq tava barato e me impressionei muito mesmo. Antes achava o visual muito doido, mas reparando melhor, se encaixa perfeitamente na história. Muito bom mesmo.

  6. Vi o filme, não gostei. Como disseram, infantil demais, colorido demais e efeito visual demais e a história é ruim mesmo. Mesmo lembrando que é uma adaptação de anime não gostei assim mesmo e olha que assisto muito anime e leio bastante mangás. Tanto anime com histórias ótimas pra investir, fico imaginando esse orçamento pra fazer o Full Metal Alchemist Brotherhood, Death Note ( mesmo que fosse outro live action ), até cavaleiros do zodíaco ( lost canvas então ), um longa de One Piece ou até mesmo o Bleach, nossa lembrei agora de Berseker. Apesar de alguns desses que citei serem antigos como o Berseker, as histórias são muito boas. Agora speed racer sempre achei muito fraquinho, preferia o inspetor buginganga, ( o speed racer acaba sendo um inspetor buginganga do asfalto com akele monte de “bugingangas” rss.

  7. Eu assistia Speed Racer quando era criança (faz temmmmpo). Gosto de games, desenhos e filmes ´pipoca´ até hoje e me divirto. Mas o filme é RUIM DEMAIS, foi uma decepção total pra mim, nem o filme do Dragon Ball chegou nesse nível.

  8. Me lembro que sugeri assistir esse filme com uma gatinha que estava a fim na época, no intuito de querer a impressionar fazendo comentários sobre o filme sabendo quase tudo devido a assistir o anime antigamente…
    Só sei que depois de 5 minutos ela disse:” Que porra de filme é esse, tô ficando com dor de cabeça…”
    Daí ela sugeriu que assistíssemos um filme mais adulto, eu peguei um pornô e ele disse que não tava mais afim de assistir nada…

    EPIC…

    LOSE =/

    Mas o filme é fiel a série original.=)

  9. Não acho que seja uma obra de arte maravilhosa que vai mudar o cinema como a gente conhece,mas é um filme muito bom para quem curtia o antigo anime, e em geral é um filme bom de ação corrida.

    Você deveria testar o jogo do speed racer para PS2 passou bem o climão do filme.

  10. Eu nunca entendi por que as pessoas não gostam desse filme! Ele é sensacional! A cena da ultima corrida é incrível, fiquei completamente sem ar quando a vi pela primeira vez, e como sou chorona, sim… derramei algumas lágrimas ;)! Pena que a maioria das pessoas não o compreende! Mas eu adoro!!!

  11. eu gostei do filme, achei foda, é que o povo estava esperando algo retro, e quando vi que eram os criadores do matrix, cara sabia que ia ser brisa, e realmente as cenas são de emocionar

  12. Realmente o filme eh bom, pq vc ve a historia original sendo respeitada algo que falta na grande maioria das adaptações

  13. O filme é muito do ruim, e olha que eu fui dono de locadora na época, e não tinha coragem de indicá-lo como um bom filme…

    Pra quem gosta de merda, Speed Racer o filme é um prato cheio!

  14. Assisti o filme mais de 7 vezes e assistirei novamente. Não sei se é por causa da profundidade que o filme aborda em temas como família, respeito e honra ou se é por que ele me cativou… mas sei que o filme é muito bem feito, meticulosamente pensado em todos os detalhes, nunca esperei que o senso comum adotasse ele como algo representativo para a sociedade, mas existem pessoas que simplesmente não conseguem enxergar além do segundo nível de interpretação… ou seja, não consegue entender a real mensagem que há por trás das imagens coloridas e das cenas forçadas.

    Acho que se trata de um filme pra se ver de com a imaginação de uma criança mas com a interpretação de um adulto!

  15. Pingback: Ladrões de Bicicleta (1948) « Já viu esse?

  16. Pingback: Rush: No Limite da Emoção (2013) | Já viu esse?

  17. Pingback: O Destino de Júpiter (2015) | Já viu esse?

  18. Pingback: Velozes & Furiosos 7 (2015) | Já viu esse?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s