Hunger (2008)

Padrão

Hunger conta a história da greve de fome que alguns membros do IRA promoveram em 1981 para pressionar o governo britânico a aceitar algumas exigências do grupo. A história é centrada no líder da greve, Bobby Sands, que no filme é interpretado pelo alemão Michael Fassbender, mais conhecido por integrar o grupo de bastardos inglórios do Tarantino.

É praticamente impossível abordar o IRA sem causar polêmica, mas o diretor Steve McQueen (que por ignorância eu confundi com o ator de mesmo nome, que morreu em 1980¬¬) optou por deixar a questão política inerente ao tema em segundo plano e focar o filme nos maus tratos que os prisioneiros sofreram nas mãos das autoridades inglesas e na ideologia por trás de um homem que decide arriscar a própria vida para defender uma causa.

Hunger tem cenas bem desagradáveis aos olhos, coisas como comida apodrecendo no chão próximo aos prisioneiros enquanto eles usam fezes para fazer pinturas na parede. É preciso ter estômago forte para acompanhar a jornada de Bobby Sands desde o momento que ele chega na prisão até o instante em que ele começa a greve de fome que o leva a um estado de saúde crítico. Ao contrário do que possa parecer, a pegada do filme não é ser uma versão com grife do programa No Limite, mas sim entender os motivos da atitude extrema adotada pelo prisioneiro. Há uma cena de cerca de 10 minutos sem cortes onde Bobby Sands conversa com um padre e expõe sua paixão pela causa que o grupo defende. Há bons argumentos dos dois lados, Bobby fica sem resposta diante de algumas indagações do padre e isso talvez seja um dos principais méritos do filme, que é não romantizar o personagem em detrimento daqueles que ele combate.

Felizmente, filmes não são feitos necessariamente para serem divertidos até porque o que é divertido para uma pessoa pode não ser para a outra. No caso de Hunger, apesar de todas as qualidades apresentadas, achei o filme difícil de ser assistido, tanto pelas cenas “pesadas” quando pela narrativa mais lenta. Indicado apenas para apreciadores do tema.

Anúncios

Uma resposta »

  1. Pingback: 12 Anos de Escravidão (2013) | Já viu esse?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s