A Vida é Bela (1997)

Padrão

Eu fui um dos que ficaram frustrado quando A Vida é Bela venceu o Central do Brasil na disputa pelo Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1999, noite em que a Fernando Montenegro ainda perderia o Oscar de Melhor Atriz para Gwyneth Patrow e sua atuação regular no Shakespeare Apaixonado. Para piorar, o filme sobre o Shakespeare ainda levou a estatueta de Melhor Filme deixando para trás O Resgate do Soldado Ryan, aquele que também é conhecido como o melhor filme de guerra de todos os tempos.

O fato é que, agora que eu assisti A Vida é Bela, da para dizer tranquilamente que Central do Brasil não tinha absolutamente nenhuma chance. Não, não estou desmerecendo o filme do Walter Salles, muito pelo contrário, é um dos meus filmes nacionais favoritos, a questão é que A Vida é Bela começa na Itália em 1939 … o personagem é um judeu … já deu para parceber onde eu quero chegar, né? É conhecida a sensibilidade que Hollywood tem para filmes que abordam o Holocausto e o quanto a Academia costuma premiar quem utiliza o tema.

Mas não sejamos injustos: o filme do italiano Roberto Benigni não levou a estatueta só por causa disso. A Vida é Bela é um filme espetacular, ele faz você rir para em seguida te levar as lágrimas sem soar forçado. Divide-se em dois momentos: uma primeira parte onde Guido (Benigni) conhece sua amada Dora (Nicoletta Braschi) e um segundo momento onde Guido é levado para um campo de concentração junto com seu filho Giosué e fantasia que aquilo era um jogo onde quem fizesse 1000 pontos primeiro ia ganhar um tanque de presente (!). A primeira parte é uma comédia deliciosa, com piadas simples e saudáveis, algo que lembra o saudoso Chaves. A segunda revela-se um drama excepcional mostrando o que um pai é capaz de fazer para deixar um filho feliz. A Vida é Bela ainda levou um merecido Oscar de Melhor Trilha Sonora e o Benigni levou o prêmio de Melhor Ator. Agora esqueça isso tudo e se ligue no detalhe mais importante: tem um cavalo judeu VERDE nesse filme. Sério, sensacional.

Buon Giorno, Principessa!

Anúncios

»

  1. Pingback: O Monstro (1994) « Já viu esse?

  2. Pingback: Sucker Punch – Mundo Surreal (2011) « Já viu esse?

  3. Pingback: Túmulo dos Vagalumes (1988) « Já viu esse?

  4. Pingback: O Quarto de Jack (2015) | Já viu esse?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s